8 de Paus

sábado, 31 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Qual carta poderia ser melhor que um 8 de Paus para encerrar o ano? No último dia de 2016 temos aqui todos os sinais para nos guiar tanto em relação à retrospectiva de tudo que nos aconteceu quanto em relação ao que devemos trabalhar em 2017. Este é um bom momento para analisar o que construímos de bom e o que não devemos repetir, o que precisa ser superado. Aqui também temos pistas e luzes a iluminar o caminho para o próximo ano.

O 8 de Paus é um dos Arcanos Menores que mais gosto! Ele fornece energia, entusiasmo, positividade e, o mais importante, conexão com a espiritualidade em cada atitude no mundo da matéria. Enquanto o ser humano não enxergar a Unidade ainda estará caminhando com dificuldade no planetinha azul.

O espiritual e o material devem ser vivenciados em equilíbrio e harmonia, porque são uma coisa só, no final das contas. Frases lugar comum que expressam a mais pura realidade: somos seres espirituais vivendo em um mundo material... somos todos um... estamos todos conectados em uma grande teia (e viva Sense8! rs) 

Outra atitude de sabedoria é compreender que o mundo não gira em torno do nosso umbigo e que a nossa visão de realidade ou do que é correto é apenas a nossa visão. Devemos honrá-la, mas também devemos respeitar a realidade e a correção dos outros. O mistério da vida está em não abrir mão do que somos e ao mesmo tempo respeitar o que os outros são. Mas pra isso é preciso trilhar um árduo caminho que é descobrir quem somos, de verdade.

Não somos aquilo que foi implantado, condicionado, não somos aquilo que nos fizeram acreditar que somos. Passamos grande parte do tempo acreditando que somos algo que é apenas resultado de uma construção artificial, baseada nos conceitos que a família nos transmitiu, medos que precisaram ser controlados, exigências sociais, competição, medo do fracasso, medo do abandono, carências, complexo de inferioridade. Existe algo muito mais lindo e luminoso dentro de cada ser humano. É a sua parte divina, é aquela essência que veio aqui com uma determinada configuração e para realizar determinados feitos, ou desenvolver determinadas habilidades. Viver é aprender, experimentar, vivenciar. Não devemos ter medo da mudança, especialmente da mudança interior. Não devemos nos apegar ao que acreditamos que somos, se em determinado momento a nossa alma clama por expressar outra coisa. Não precisamos ser fiéis ao nosso passado e nem ao que fomos no passado. Evoluir é trair o passado. Para crescer e amadurecer é preciso se desapegar do que um dia fomos.

Com esta consciência devemos deixar 2016 para trás, com muito amor, perdão e gratidão, e aceitar 2017 com a confiança de que podemos ser diferentes, melhores, mais maduros, mais evoluídos. Sem pactos firmados com nosso antigo eu, mas totalmente libertos e prontos para viver a aventura de um eu concreto e prático que esteja mais próximo da expressão divina do Eu Essencial. Não vamos deixar que os medos, inseguranças, desejos egoístas, rancores e, principalmente, as memórias negativas do passado nos influenciem. Somos muito mais que isso! Acreditem!

Que 2017 seja a Estrela da confiança e da plenitude, da harmonia com a Criança Interior e a luz que ilumina nosso caminho, apesar de não ser a Estrela que rege o ano para a egrégora do Via Tarot...rs Mas sobre isso falaremos amanhã. Farei o possível para disponibilizar a postagem por aqui meia noite. Quem chega por aqui pelo Facebook, recomendo salvar o link do blog, porque eu não tenho conseguido fazer a programação por lá, somente por aqui. E meia noite estarei brindando e olhando estrelas, desejando tudo de mais incrível para mim e para cada um de vocês... a nossa família Via Tarot.

Ótimo sábado! Ótimo fechamento de 2016!

A imagem veio daqui

2 de Ouros

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Às vésperas da virada do ano, aparece por aqui uma carta que fala de mudanças e deixa um recado muito especial: somente através de uma mudança concreta será possível mudar o entorno. Então, vamos começar falando desta "mudança artificial" que acabou criando uma egrégora. O que chamamos de ano é o período de tempo marcado pelo Calendário Gregoriano em que se começa e se termina o chamado ano fiscal. As empresas fazem o seu balanço a partir desta data, todo tipo de contabilidade funciona usando esta referência, como o imposto de renda, por exemplo.

No entanto, se pensarmos no ano conectado com a natureza e as estações, ele começa em primeiro de agosto, quando a Primavera se inicia (lembrando sempre que em 22 de setembro comemoramos o ápice da Primavera e não o começo), as coisas voltam a nascer e se renovar. Se pensarmos no sol, poderíamos fazer nosso ano novo a partir do começo de julho, levando-se em conta que em torno do dia 21 de junho temos a noite mais longa do ano, em que o sol menos se mostra, e a partir daí ele recomeça a sua caminhada de permanecer mais presente a cada 24h. Se pensarmos no Calendário Maia, o ano começa dia 26 de julho e se pensarmos no zodíaco, o ano começa com a entrada do sol no signo de Áries, em 21 de março. Já perceberam quantas chances de recomeço temos a cada 365 dias? Acho que é o bastante para tentarmos de novo, de um novo jeito, um jeito bem melhor.

Podemos recomeçar sempre a qualquer momento, podemos providenciar mudanças para nós mesmos e nossas vidas sempre que quisermos. Mas pegar carona com a natureza ou com uma egrégora pode ajudar, sim... É sempre mais fácil nadar a favor da maré do que contra ela. Por estes dias, pessoas de todo o planeta estão fazendo suas retrospectivas do ano que se encerra e planejando realizar coisas em 2017, essa energia favorece a mudança.

O 2 de Ouros está aqui hoje para dizer: a mudança começa sempre a partir de você. Não adianta querer que os outros mudem, as situações mudem, a humanidade mude, se você não consegue mudar coisas tão simples, como hábitos cotidianos, ou coisas mais profundas, como a forma de encarar a vida. Está valendo e muito aquela frase: seja você a mudança que quer para o mundo.

Tenho uma experiência muito significativa em relação a isso para compartilhar com vocês. Durante muito tempo, usei um rigor exagerado para analisar as minhas próprias atitudes e as atitudes dos outros. A busca da perfeição e da correção era tão grande que me torturava às vezes por bobagens, como quebrar um copo ou cometer um pequeno erro de digitação no trabalho. Quando comecei a ser mais generosa na forma de olhar as atitudes alheias, apesar de ainda manter o rigor em relação as minhas próprias atitudes, já senti o começo da mudança. Quando, mais adiante, consegui ser mais legal comigo mesma, algo mágico aconteceu... Em vários momentos em que cometi erros ou que não consegui ser tão impecável quanto gostaria, recebi como retorno das pessoas uma compreensão generosa e palavras de apoio. Isso foi muito marcante pra mim, pois, até então, toda vez que eu "pisava na bola", mesmo que só um pouquinhozinho (rs) eu era cobrada de forma até cruel. Mas foi só trabalhar mais a generosidade comigo e com os outros que o mundo me enviou a mesma resposta, igualmente positiva.

O 2 de Ouros chega em um dia de Vênus para pedir mudança em relação a forma de sentir, amar, a questionar aquilo que damos tanto valor (se tem esse valor todo mesmo), a enxergar a beleza sob outra perspectiva ou ainda a realizar mudanças para que se possa expressar a beleza, seja em qual aspecto for. Meu desejo sincero é que consigamos realizar tais mudanças em nós e, certamente, as mudanças em volta de nós se materialização.

Ótima sexta para todos!

A imagem veio daqui

7 de Paus

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Seguimos no naipe de Paus... A impressão que tenho, em certos momentos, é que o tarot tenta desesperadamente ampliar meu nível de energia. Há quem reclame de horário de verão... Pois eu acho que ele não se compara à mudança de turno de trabalho. O irônico é que estou trabalhando no horário dos meus sonhos agora... Mas nem por isso consigo evitar bater cabeça no teclado e tomar susto quando o telefone toca porque estava entrando em alfa...rs

Se ontem alcançamos uma primeira e pequena vitória, hoje somos convidados a aceitar um desafio. Este desafio é mais um teste para verificar a quantas anda a nossa coragem, quase como uma gincana! Só que um pouco mais sério.

Pensar na coragem é engraçado... Seu conceito pode ser bastante flexível quando analisamos a forma em que ela se manifesta. Quando era mais jovem, minha coragem se manifestava de forma intensa (às vezes exagerada, a se julgar pelo princípio do bom senso), mas não tinha estrutura para aguentar certas coisas, na prática, na hora do vamos ver, eu fraquejava. Hoje em dia me considero bem fraquinha no quesito coragem...rs Fujo da maioria das situações de conflito grave e desgaste desnecessário, prefiro não viajar de avião... mas quando surge o desafio real e concreto, diante dos meus olhos, eu enfrento sem pestanejar. Provavelmente, as mesmas experiências que me trouxeram o gosto da dor, me trouxeram o sabor da resistência e a percepção dos meus limites (maiores do que eu poderia imaginar).

A coragem costuma ser assim, de um modo geral: só sabemos do que somos capazes quando nos vemos diante da situação. Mas existe algo bem interessante no 7 de Paus, que não diz respeito a batalhas ou desafios, nesse aspecto mais direto. É o acúmulo de energia vital, que se transforma em poder pessoal, e que no 8 de Paus se expressa através da capacidade de perceber os sinais e de ter uma vida pautada pela sincronicidade. Aliás, diga-se de passagem, pra mim, isto é magia! Quando não fazemos esforço nos processos... Ao contrário, tudo flui muito facilmente, as coisas seguem seu rumo sem precisarmos empurrar.

Que o dia seja assim... isento de empurrões...rs E que a coragem seja o brinde da sorte que o Grande Benéfico Júpiter, regente da quinta-feira, nos reserva para hoje. 

A imagem veio daqui

4 de Paus

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Olhem só quem voltou! A presença do 4 de Paus por aqui hoje vem comprovar uma coisa: pelo menos em um primeiro momento ou em um novo estágio, conseguimos superar o 5 de Copas de ontem. Alguns autores chamam esta carta de "a primeira vitória", aquela que não é definitiva, sendo o 6 de Paus a vitória definitiva. Pode ser que não tenhamos eliminado completamente o problema do 5 de Copas das nossas vidas, mas certamente resolvemos seus efeitos mais recentes.

Tenho pensado bastante sobre o que eu quero para mim e para a minha vida. Confesso que isso tem me deixado um pouco confusa. Longe de me sentir infeliz, tenho sido brindada por uma paz interior profunda, que só é abalada, em certos momentos, por situações externas ou outras pessoas. No entanto, uma das perguntas mais difíceis de responder nos últimos tempos tem sido: o que eu quero muito? Parece que, com exceção da casa própria (fofa, com aquela decoração bem colorida do jeito que gosto, com quintal repleto de frutíferas, horta, ervas medicinais e flores... e um laboratório/escritório/ateliê com entrada independente), não tem nada que eu queira tanto assim. Em um mundo consumista como este em que vivemos, parece louco pensar assim, mas é deste jeito mesmo que acontece.

Fico me perguntando o que seria uma vitória, pra mim, neste momento...

Houve um tempo em que tudo na vida parecia muito fácil, parecia fluir. Isso não quer dizer que não havia problema, mas mesmo os problemas eram mais fáceis de se resolver. Lembro da sensação de simplesmente viver... E tudo ia surgindo, passo a passo, na minha frente. A partir de um determinado momento, tudo parecia um parto a fórceps! Tudo muito difícil, muito duro, doloroso, um esforço enorme! Fiquei neste estágio por, aproximadamente, 15 anos. E a partir do segundo semestre deste ano, eu me senti saindo deste ciclo. Se o 4 de Paus é o Arcano que fala do encerramento de um ciclo para que outro possa nascer, sem dúvida, ele aparece no momento em que eu tomo consciência de um encerramento de ciclo.

Desde o final de 2014, minha vida começou a parecer diferente. Bem melhor! Mas eu ainda tinha muitos conflitos interiores para resolver... Em meados de 2015, eu estava interiormente ótima, mas ainda com algumas questões profissionais e materiais para resolver. Um ano depois, não sei se fui eu ou foram as coisas (rs), mas tudo pareceu se abrir. Soluções surgiram, mais estabilidade, mais tranquilidade ao lidar com trabalho, mais prosperidade, mais fluidez. Provavelmente, estou colhendo os frutos de todo o esforço dos 15 anos muito difíceis... Até porque não sou de acreditar que as coisas chegam até nós sem razão alguma. E se tem uma coisa que é justa de se dizer sobre esta fase boa atual é que ela é merecimento puro! Teve muito de sangue, suor e lágrimas neste processo! Ô, se teve!

Mudança de ciclo é sempre algo interessante... Se nos saímos bem, é comum já colher alguns resultados positivos. Se nossa atuação não foi tão boa, fica um certo vazio ou falta energia para começar um novo ciclo. Tenho sentido no ar algo mudando. Tem hora que acho que tem algo (ainda mais) estranho acontecendo comigo... Esta falta de ambição, esta falta de desejo por algo mais... Em outros momentos, sinto que isso faz parte de um processo de equilíbrio meio budista...rs A certeza de que tudo que mais quero e preciso está dentro de mim, na minha vida interior e na minha conexão com o Todo, faz com que não haja tanta ânsia, tanto querer.

Com toda esta conversa, lembrei de uma coisa que desejo. Desejo muito, muito: que meus sonhos lúcidos voltem a ser a rotina diária, como era antes, e que as crises de ansiedade transformaram em eventualidade. Sonhar lúcido é uma questão de estar plena para mim...

Pois bem... que o ciclo vire, que o tempo se renove, que venha uma nova fase e com ela o renascimento. Que assim seja!

Ótima quarta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui


5 de Copas

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Acreditem ou não, esta é a primeira (e última) vez que o 5 de Copas aparece por aqui este ano. Eu acho difícil de acreditar porque eu vivi várias vezes os sentimentos que envolvem este Arcano em 2016, no entanto, parece que antes era algo só meu... e agora é algo nosso, da família Via Tarot.

Pois bem... eu já detectei o meu 5 de Copas, mas espero que fique só por aí e não tenha repercussões. Esta carta fala muito de decepções emocionais, fala de quando colocamos todas as nossas esperanças em uma mudança de postura e ela não acontece, ou quando temos certeza que alguém já mudou a sua forma de enxergar as coisas, mas não mudou.

No entanto - já percebi - algumas vezes o 5 de Copas vem em mão dupla. São aquelas incríveis situações em que duas pessoas conseguem se sentir decepcionadas uma com a outra exatamente pela mesma situação. Chega a ser irônico... Assim, por exemplo: um fato já aconteceu e gerou stress, desgaste, dor, sofrimento... na época, foi dito com todas as letras a origem deste desgaste e desta dor. O tempo passa... Quem gerou o desgaste e a dor parece esquecer completamente do que foi dito e sugere que a razão do desgaste e da dor foi outra, completamente diferente. Neste momento, surge o 5 de Copas de quem sofreu a dor e o desgaste, por perceber que tudo aquilo que foi dito entrou por um ouvido e saiu pelo outro, sua fala não foi ouvida. Então, esta pessoa resolve mostrar a realidade, relembrando o que já foi dito, a verdadeira razão do desgaste e da dor. E então é a vez da outra pessoa incorporar o 5 de Copas, ficando decepcionada... Seja porque ela tinha esperança de que a realidade mudaria magicamente, seja porque ela tinha esquecido do erro que cometeu e foi lembrada. Este tipo de coisa sempre me deixa de presente a reflexão vulcana: "fascinante!"

Como costumo dizer sempre, depois de mais de 25 anos estudando o tarot, o 5 de Copas é uma carta que ainda me pega pelo pé. Provavelmente, por eu ser uma realista com tendências otimistas, que sempre prefere acreditar no ser humano e no seu aprendizado. Prefiro acreditar que alguém vai aprender, superar limites, desfazer bloqueios, tomar consciência, não repetir os mesmos erros... do que acreditar que ela vai continuar repetindo os mesmos erros eternamente. E isso serve para mim também! Nada mais decepcionante para mim do que cometer erros antigos e batidos! Fico de mal comigo mesma durante dias, às vezes semanas! Acho muito triste ficar batendo na mesma tecla por várias vezes... Parece equipamento com defeito... E neste ponto admito minha falta de paciência, comigo e com os outros.

Uma outra característica do 5 de Copas é o efeito dominó... Já notei isso na prática de jogo. Normalmente, não é um fato isolado (por isso que citei a repetição do erro) e costuma ter repercussões do tipo: uma pessoa se decepciona com a outra, faz cara triste ou zangada, a outra pergunta o que está acontecendo e aí começa: Opção 1 - ela responde que não é nada e a outra fica insistindo. Opção 2 - ela tem uma explosão emocional e aquilo resulta em bate boca. Opção 3 - ela faz a louca e muda de assunto. Também temos um outro caminho que é: a pessoa que se decepcionou não fala nada e nem faz caras e bocas, a outra pessoa não entende nada ou prefere fingir que não entendeu. O detalhe é: em todas essas opções a tendência é que o resultado não seja bom. Ou temos uma briga imediata ou temos uma briga adiada para um pouco depois ou temos o silêncio que corrói a alma.

O 5 de Copas costuma ser uma batalha sem vencedores. De um modo geral, se resume em uma pessoa pessoa fazendo o que quer e outra pessoa sofrendo porque não consegue mudá-la. Ou seja, a primeira está pensando só no próprio umbigo, enxergando as coisas só segundo seu ponto de vista, e a segunda quer mudar alguém na marra, dois comportamentos que não são legais. E aí temos mais efeito dominó: como alguém que não tem a empatia por natureza pode aprender a se colocar no lugar do outro (com a bagagem de vida do outro)? E como alguém que percebe que não consegue lidar com certas características consegue se conformar em não querer mudar o outro? É a típica situação Chapolim Colorado... "Quem poderá nos salvar?" rs Só que ao invés do famoso personagem, eu recomendo o Ho'oponopono! :-) Porque não existe intervenção material para resolver esse tipo de coisa, tem que ser algo mais sutil, espiritual, transcendente.

Diante disso, eu declaro oficialmente aberto o dia do Ho'oponopono para podermos transmutar o que ainda precisa ser transmutado antes de entrarmos em 2017. Quem vem comigo?

Ótima terça para todos nós!

A imagem veio daqui


4 de Paus

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

A semana de encerramento do ano começa muito bem... Temos, até domingo, somente uma cartinha mais enjoada, e quatro cartas de Paus em sete dias, o que, provavelmente, se expressará em dias cheios de energia e criatividade. Para o domingo, dia 01/01/2017, como de costume, tirei um Arcano Maior, regente do ano na egrégora do Via Tarot, e um Arcano Menor, que vai falar mais diretamente sobre o dia. Eu já entendi perfeitamente o recado.

Pois bem, o 4 de Paus é uma das minhas cartinhas mais queridas. Ele fala sobre a conclusão de um ciclo e o início de outro ciclo, portanto, ele fala de algumas realizações que já se manifestam como resultado de ideias organizadas e oportunidades bem aproveitadas. Em termos práticos, quando esta carta aparece costuma trazer algum bônus em termos bem concretos, além disso, ela recomenda: façam seus encerramentos, não deixem pendências para trás, para que o novo ciclo possa se iniciar com força total.

Eu farei exatamente isso, concluindo as respostas de consultas, ainda pendentes, entre hoje e amanhã. Dessa forma, darei um bom encerramento ao ano de 2016 em termos profissionais

Alguns autores citam o 4 de Paus como uma carta que fala de casamento, basta ver as imagens com a tenda cerimonial montada e enfeitada com flores. Não costumo dar esta interpretação, a não ser que a carta apareça, especificamente, em relação a um jogo de relacionamento. Mas podemos sempre interpretar o seu efeito de boas uniões, entrosamento, parcerias.

Hoje, segunda-feira de regência lunar, dia em que costumamos trabalhar a magia e a espiritualidade, não poderia deixar de lembrar dos círculos ritualisticos, especialmente os que incluem uma fogueira e a representação dos quatro elementos. Minha recomendação é que se providencie um momento de pausa, uma preparação para o encerramento do ano que, como falo sempre, não é um ciclo da Natureza (como as quatro estações ou as lunações), é um ciclo artificial, criado pelo ser humano, mas que já formou uma egrégora. Vamos aproveitar a egrégora, então, para encerrar processos, facilitando a abertura de novos projetos, objetivos e metas para 2017.

O céu azul, o sol e a brisa fresca, por aqui, estão inspiradores! Tenho certeza de que este será um dia de muitas resoluções! Ótima segunda para todos nós!

A imagem veio daqui

Príncipe de Ouros

domingo, 25 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Bem, o que falar da celebração de Natal de ontem? Eu sei que sempre é bom, mas ontem superou expectativas! Fomos tomados por uma alegria contagiante e rimos tanto, mas tanto... Foi incrivelmente especial! Espero que todos tenham aproveitado da melhor maneira possível este momento especial do ano.

Então, temos aqui uma jornada conectada ao elemento terra. Saímos do Ás de Ouros e chegamos no Príncipe de Ouros. Se ontem tínhamos o começo, hoje temos sinais de que chegaremos ao ápice de um processo muito positivo.

Vamos falar um pouco sobre personagens... As Princesas estão associadas ao elemento fogo, os Príncipes ao elemento ar, Rainhas são a água e Reis são a terra. Portanto, temos aqui o aspecto do ar dentro do elemento terra. Isso pode querer dizer a forma de pensar dentro de um princípio muito prático e concreto. Príncipes falam de movimento, tanto que nos quatro naipes eles se apresentam montados em um cavalo, e a presença deles traz uma certa dinâmica.

Quando o elemento terra é dinamizado, temos fatos concretos acontecendo, especialmente aqueles que dependem de pensar, planejar e falar. O Príncipe de Ouros costuma representar a meta a ser alcançada com toda a perseverança e a força de vontade necessárias para que ela aconteça. Como no domingo a regência solar nos leva ao autoconhecimento e o trabalho interior, temos aqui o seguinte questionamento: o que eu posso fazer, de concreto, para agilizar a materialização e a expressão da minha própria essência? Ou ainda: o que eu preciso pensar, enxergar claramente em relação a mim mesmo que será um facilitador para realizações importantes na minha vida?

Temos sempre tantas coisas a descobrir sobre nós mesmos... Acho uma ambição muito grande querer conhecer os outros, levando-se em conta que não conhecemos 100% de nós mesmos. O caminho se realiza assim, um passo de cada vez, com determinação e a certeza de que chegaremos em nossa meta, nosso objetivo está sempre ali, diante de nossos olhos, e trilhamos este caminho com muita alegria. Sejamos Príncipes de Ouros!

Que o domingo seja maravilhoso!

A imagem veio daqui

Ás de Ouros

sábado, 24 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Feliz Nataaaal!!!! :-) Sim, hoje a postagem saiu mais tarde por conta disso também... Ontem, foi dia de descanso necessário, isolamento de internet e chegada do namorado depois de dois meses fora. E hoje de manhã, uma última saída para comprar ingredientes para sobremesa que ficou sob minha responsabilidade na ceia e pro namorado comprar o presente de amigo oculto dele. Agora, com quase tudo resolvido (só falta fazer a sobremesa) e em paz, eu posso fazer esta postagem especial para o Via Tarot.

Eu sei que algumas pessoas não gostam de Natal... Sei que algumas pessoas por questões religiosas não celebram o Natal. Mas vou aqui dar o meu depoimento sobre isso.

Costumo falar aqui sobre a diferença entre a Natureza e seus ciclos e as egrégoras criadas pelos seres humanos. Particularmente, costumo valorizar mais a primeira opção, mas isso não faz com que eu despreze a segunda. Apesar de seguir um caminho espiritual diferente e apesar de, segundo várias coisas que já li afirmarem que Jesus, definitivamente, não nasceu em 25 de dezembro, nasci em uma família que sempre valorizou o Natal como um momento de estar junto de quem se ama, celebrar o ano que passou e o (re)nascimento de um novo ciclo. É dia de gratidão, é dia de oferecer o seu melhor, seja através da comida que se faz, do ambiente que se prepara, do presente (sem desespero consumista, mas com consciência) que se dá. Eu gosto muito de estar reunida com a minha família em qualquer época do ano, mas no Natal relembramos os queridos que já se foram, os queridos que estão longe e nos divertimos muito com a renovação, com fato de os adultos poderem ser crianças e a única criança ainda presente (minha sobrinha) não estar nem aí pra presentes e gostar mais das embalagens dos presentes, principalmente aquelas que quando amassadas fazem barulho...rsrs

Ah, Natal virou uma festa comercial, feita para que todos gastem muito dinheiro e exercitem o consumismo? Não deixa de ser verdade... Para muitas pessoas, é... Mas você não precisa ser igual as muitas pessoas, não é mesmo? O Natal, assim como qualquer outra celebração, será aquilo que cada um faz dele. Eu detesto Carnaval.... Não gosto de samba, axé... Não gosto de ir pro meio da muvuca, não gosto de encher a cara. Mas eu amo fantasias! E já passei muito Carnaval fantasiada dentro de casa...rs Então, como eu posso não gostar de um feriadão de cinco dias, em que posso fazer o que eu quiser e ainda posso ficar fantasiada? rs

Este é também um exercício para parar de reclamar das coisas... Temos este hábito, o da reclamação... Quando algo nos desagrada começamos a reclamar, colocar defeito, ficamos irritados e enchemos a paciência dos outros e tudo isso pra quê? Não é melhor encontrar novos caminhos para não enfrentar o que não gostamos e criar o que gostamos? Hoje mesmo, driblei a muvuca na rua (que de-tes-to!) saindo de casa às 9h da manhã, resolvendo tudo e voltando pra casa quando o povo começou a encher as ruas, perto do meio dia. Agora, cá estou eu, no sossego do meu lar, sem precisar ficar reclamando do calor, das lojas cheias, da falta de vaga para estacionar o carro (eu fui até a pé!), da mania dos outros deixarem tudo para em cima da hora, de não encontrar presentes (comprei o que tinha que comprar no final de novembro...rs) Eu estou fazendo o meu dia melhor, não importa se é Natal ou não.

Pois bem... O Ás de Ouros chega por aqui como o melhor presente de Natal que poderíamos ganhar! Ele é o primeiro passo em direção à materialização do que se quer, daquilo que desejamos construir de bom e de sólido em nossas vidas. E a primeira pergunta que se deve fazer é: o que eu, de fato, quero construir de bom em minha vida? Quando sabemos o que queremos, fica muito mais fácil atingir nosso objetivo!

Minha dica especial é: escolher um presente de Natal para darmos a nós mesmos. Nada que se possa comprar, mas algo que se possa fazer, transformar, desenvolver... Uma melhoria real em relação a nossa vida. Eu já sei qual é o meu: parar de criticar tudo (principalmente eu mesma), de querer alcançar a perfeição e conseguir relaxar e tirar alegria das pequenas coisas. Qual é o seu?

Feliz Natal!

A imagem veio daqui


2 de Paus

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

A suavidade do Príncipe de Copas e todos os seus processos tão envolventes e encantadores não se manifestou por aqui de forma muito clara. Mas sem dúvida que a quinta-feira foi muito boa, tanto por anunciar um recesso na escola, breve, porém válido, quanto por algo que não saberia definir, mas que talvez seja uma mistura de céu azul, sol e gratidão.

Hoje, sexta-feira de Vênus (a plena beleza de não precisar ir trabalhar, depois de tantos dias absolutamente estafantes), temos por aqui o 2 de Paus. Esta cartinha é bem interessante... Não somente pelos seus significados, mas por sua versatilidade.

Tradicionalmente, temos aqui a importância do planejamento, a capacidade de enxergar tanto ao longe quanto bem de perto, enxergar os detalhes, para que seja possível caminhar em direção a um destino, de preferência pela melhor trilha. Se no Ás de Paus temos a ideia brilhante e inspirada, e no 3 de Paus a oportunidade de colocá-la em prática, sem a presença do 2 de Paus, entre uma carta e outra, não teríamos a visão clara de tudo que envolve tal realização e o plano detalhadamente idealizado, que será capaz de transformar sonho em realidade.

Mas é bom lembrar que existem interpretações mais calientes para o 2 de Paus, especialmente em uma sexta-feira de amorzinho. Ele pode ser aquele atrito que produz a fagulha, ele pode ser a sensação de um "click", ele pode ser o fogo que acende quando duas pessoas se encontram. Não costumo olhar muito para esta interpretação, no entanto, a regência venusiana do dia, pede essa flexibilidade. E por que não? ;-)

Eu sugiro um olhar atento para as ondas de calor e pequenas descargas elétricas (e tenham certeza de que não estou falando do clima...rsrs)

Ótima sexta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui



Príncipe de Copas

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Cartinha boa, de energia gostosinha e estou precisando demais disso! Já cheguei em um nível de cansaço e de stress em que já estou meio anestesiada. Assim como quando a fome muito grande se prolonga ou o sono é aterrador e não se pode dormir. Depois de um certo tempo, parece que o corpo se acostuma, já ouvi dizer que uma das capacidades mais incríveis do ser humano é a adaptação. Eu, sinceramente, gostaria de não me adaptar a esse tipo de coisa, levando-se em conta a máxima "não sou obrigada", mas às vezes, sim, eu sou...rs

Pois bem... o Príncipe de Copas chega para trazer prazeres e alegrias. Ele se manifesta em situações bem mais leves e fluidas. Como todos os Príncipes, ele fala de movimento, deslocamento, atitude. Mas não temos aqui a atitude impositiva, impulsiva ou prática. Temos aqui as atitudes mais diplomáticas, sensíveis ou sutis.

Se pensarmos que estamos em ciclo de Sacerdotisa, o herdeiro do Reino das Águas pode ter mesmo um aspecto mais espiritual ou mediúnico, algo que faz com que as coisas aconteçam através de uma conexão mais intuitiva. E juntando tudo isso com o regente da quinta-feira, o Grande Benéfico, tudo isso tem a cara do poder que podemos despertar hoje.

Quantos talentos e habilidades continuam encobertos em nós? Creio que são muitos!

O Príncipe de Copas é o nosso grande trunfo hoje... nossa cartinha da sorte... o cara que pode fazer despertar o poder pessoal de uma forma bem menos trabalhosa e cansativa. Pra mim, já está valendo a filosofia "quinta-feira é quase sexta", até porque amanhã tem recesso na escola (graças a Deus, Nossa Senhora Desatadora de Nós e Santa Rita de Cássia, a das causas impossíveis) Não posso descrever a sensação de usufruir de um dia a mais longe daquela secretaria, sem que me venha lágrimas aos olhos. Ok, estou fazendo um draminha bem humorado, mas olha... É quase isso! rsrs

Enfim, aproveitem! Aproveitem! Que a quinta-feira nos traga lindezas!

A imagem veio daqui


A Sacerdotisa

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

O ciclo, finalmente, mudou! Provavelmente, porque aprendemos a lição que nos foi proposta pelo tarot. Uma coisa que percebi com a chegada do Diabo sob o aspecto mais terapêutico foi um acréscimo de energia, que chegou em boa hora, já que eu andava esgotada.

Com a Sacerdotisa regendo o novo ciclo, temos a primeira resposta ao processo de duplo ciclo de Diabo: agora refizemos a nossa conexão espiritual e conseguimos compreender mais claramente as sensações e percepções sutis.

Fora o fato da imagem encantadora que encontrei (e que não conhecia), a energia da Sacerdotisa somada ao regente da quarta-feira, Mercúrio, nos traz de brinde a comunicação com nossos protetores e guias espirituais e uma forma mais intuitiva de interagir com as outras pessoas e lidar com as questões que surgirem no decorrer do dia.

Outro marco desta quarta-feira é que às 8h 44min temos o ápice do verão, chamado Solstício de Verão.  Hoje, teremos o dia mais longo do ano, com o sol nos abençoando por mais tempo. Ontem, tivemos por aqui, na cidade onde moro, um dos dias mais lindos dos últimos tempos. Calorzinho, sem ser calorão, céu muito azul, sol e nuvens branquinhas. Vez por outra uma brisa para refrescar. Depois de um longo período de chuva e céu cinzento, só posso agradecer.

Este é um período propício para agradecermos por tudo de que plantamos, desde o Solstício de Inverno, e que agora começa dar frutos. Ainda teremos o chamado tempo de colheita até o final do Outono, mas como agradecer é sempre bom, podemos começar agora a colocar o foco nesta energia. Desejo, sinceramente, que este final de ano seja tranquilo, alegre, leve e de união familiar. Costumo dizer que o maior desafio que temos, nestes tempos, é, mesmo diante de fatos tão conflitantes e uma tempestade de notícias ruins na mídia, mantermos nossa paz interior, nosso equilíbrio e a percepção de que a nossa realidade é construída por nós mesmos e a energia que emanamos. O maior bem que podemos fazer a nós, às pessoas que amamos e a todo o planeta é manifestarmos uma conduta pacífica, porém consciente, e uma energia de transformação e muita, muita luz. Estamos construindo o nosso futuro e o que pensamos e sentimentos é o que vai nutrir o que virá depois.

Que a quarta-feira seja espiritualizada e benéfica para a ampliação da percepção e o caminho da evolução. Que assim seja!

A imagem veio daqui

O Diabo

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Ele voltou! Ou, melhor dizendo, ele continuou sendo o regente do ciclo. De certa forma eu sabia que isso ia acontecer... A primeira chegada do Diabo foi intensa e conturbada. No entanto, existe o aspecto deste Arcano que é bem terapêutico, então é como se ele voltasse para curar a ferida que abriu.

Os efeitos do Diabo começaram, por aqui, como de costume, de noite... a partir das 21h... Comecei a remoer uma série de coisas... Por exemplo, percebi uma sombra gigantesca dentro de mim! Sim, temos várias sombras e as minhas eu já conheço a maioria, mas nem todas (que pessoa monótona seria eu se soubesse de todas as minhas sombras...rs)

A sombra da vez foi a seguinte: o fato de ter fama de forte, equilibrada, madura, conselheira... de sempre ter uma resposta para os outros, sempre ponderar, sempre buscar a justiça, mesmo quando isso prejudica as minhas necessidades... blablablá...rs não faz de mim um ser perfeito, invulnerável, e muito menos faz com que eu não me sinta triste, frágil, insegura. O problema (aí entra a sombra) é que eu cobro de mim mesma ser sempre desta forma durona, mas isso é uma parte de mim. Tem outra parte que acha muito injusto eu sempre ter que ser paciente e generosa com os outros e não sentir que a recíproca é verdadeira; tem outra parte que sente que todo mundo é "café com leite", que preciso relevar, esquecer, deixar pra lá o que os outros fazem e que me deixam triste, mas a recíproca não é verdadeira. Eu sou absolutamente incapaz de tomar uma atitude que eu sei que vai magoar alguém (apesar de saber que posso magoar sem saber), mas em vários momentos em que eu falo para as pessoas "ei, isso está me magoando... ei, isso está me desgastando...", seja desta forma direta ou de forma indireta, as pessoas continuam... Talvez acreditando que eu "dou conta" de tudo. Cresci ouvindo todo mundo dizer "ah, não se preocupa com a Cláudia não porque ela tira tudo de letra". Menos, né? rs

Tudo isso veio na minha cabeça como uma tempestade! E de repente eu percebi a imensa vontade de vez por outra simplesmente falar, agir e reagir de acordo com o que eu quero e se surgir alguma cara feia, simplesmente, falar uns três palavrões e seguir em frente. Vocês não têm ideia do quanto isso é surreal pra mim! Até por conta do meu trabalho como terapeuta... em que busco sempre estar o mais harmonizada possível.

Então, minha postagem de hoje vai para as "Marias 10 de Paus" (apelido que a minha querida Maryssol criou...rs), aquelas mulheres que trabalham muito, fazem tudo muito, são fortes, independentes e destemidas e que às vezes se esquecem que também são seres humanos. Vamos tacar uns pratos na parede de vez em quando...rsrs Vamos fazer a louca que fala e sai andando, deixando os outros falarem sozinhos... ;-)

Ótima terça para todos nós!

A imagem veio daqui

4 de Copas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Sempre que olho para o 4 de Copas, penso na festa, na alegria e na leveza que terminaram e no momento de introspecção que começa ou recomeça. Não olho para isso com tristeza... A vida, ao contrário do que diz a velha música da Xuxa, não é uma festa. Pelo menos não neste sentido, de colocar o foco em amenidades, prazeres e superficialidades. É claro que isso tudo tem o seu valor, sua hora, seu momento, mas o processo de amadurecimento mostra que o aprendizado precisa acontecer e ele só costuma acontecer com uma certa dose de sossego e mergulho interior.

Hoje, não tenho dúvida, será um dia de reflexão sobre questões emocionais, especialmente sobre como administrar meus sentimentos para gerar menos sofrimento. É um clássico a questão que envolve pessoas consideradas fortes e sua suposta ausência de sensibilidade. Isso já até ganhou vários memes no Facebook. A impressão geral é que pessoas que são mais práticas, independentes e determinadas não sentem as coisas de forma tão profunda quanto aquelas tipicamente chamadas de emotivas ou sensíveis. Pensar assim é uma grande injustiça! Posso falar sobre isso com propriedade porque sou considerada uma dessas criaturas fortes.

O que poucas pessoas entendem é que esta força foi construída a duras penas, com sangue, suor e lágrimas. A vida foi mostrando que não vale a pena derramar lágrimas por pouco, que não é o melhor caminho sofrer por conta da forma como as pessoas te tratam, que não podemos esperar dos outros o mesmo que oferecemos a eles, que não podemos ser tão dependentes da aprovação ou do amor dos outros para sermos felizes. A vida sempre mostra muitas coisas. A diferença é que algumas pessoas resolvem enxergar e aprender logo, outras não. As pessoas denominadas fortes, escolheram a primeira opção, mas é bom que todos saibam que a resistência delas, como tudo nesta vida, tem limites.

Há anos eu digo sempre: Deus me livre dos frágeis demais, inseguros demais, sensíveis demais. Eles sempre acham que estão sendo atacados ou menosprezados e não pensam duas vezes antes de passar por cima dos outros com toda a sua "sensibilidade", para se defender de um ataque que muitas vezes é totalmente fictício, fruto da sua própria imaginação, insegurança e mania de perseguição. Neste processo, sua cegueira em relação a tudo que acontece é tão grande, que durante o seu ataque ao outro, ele continua se sentindo o atacado, mergulhado na sua auto imagem de "a criatura sensível que está sendo vítima de alguém sem sentimentos". Isso tudo é muito triste porque ele não somente sofre, como faz os outros sofrerem também.

Minha reflexão de hoje diz respeito a isto: como estou tratando meus próprios sentimentos, como estou lidando com minhas fragilidades e até quando vou continuar assumindo na vida o papel da criatura forte que não sente nada, quando sinto tanta coisa. O corpo acaba padecendo neste tipo de situação e talvez eu prefira perder o juízo do que perder a saúde.

Como estamos em uma segunda-feira de regência lunar, dia de espiritualidade e magia, vejo o 4 de Copas também como um chamado de socorro aos protetores espirituais. Talvez não seja a hora de ouvir opiniões alheias sobre o que devo fazer, mas me abrir à espiritualidade para que de lá venha a melhor solução, o melhor caminho. Que a reflexão do 4 de Copas neste ciclo que ainda é do Diabo possa colocar luz nas sombras... As alheias e as minhas também. Que assim seja!

Ótima segunda-feira para todos nós!

A imagem veio daqui

Rei de Copas

domingo, 18 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Continuamos felizes, certo? Um Rei de Copas costuma ser bem vindo sempre e em qualquer lugar. Confesso que meu Rei preferido é o de Ouros, com seu belo senso prático misturado com um jeito tranquilo e bonachão, aquela facilidade natural de lidar com os desafios materiais do planeta Terra...rs Mas um Rei de Copas... Bem, um Rei de Copas é o aconchego necessário nos dias mais difíceis e uma companhia divertida nos dias em que a vida parece poesia e os passos parecem acontecer pelo menos 30 centímetros acima do solo.

Eu gosto da combinação de energias opostas complementares. Assim, temos Copas, o naipe do elemento Água, feminino, e um Rei, figura masculina. O resultado é uma energia equilibrada entre o masculino e o feminino. E este Rei possui sensibilidade, amorosidade, um gosto especial pelas artes. A presença dele sempre traz um clima muito gostoso, como algo que flui harmoniosamente.

Hoje, domingo de regência solar, dia em que colocamos nosso foco no autoconhecimento e no trabalho interior, o Rei de Copas pode ser algo ainda inexplorado dentro de cada um de nós. Eu diria que este algo tem a ver com sentimentos não percebidos, emoções que ficaram guardadinhas em um canto qualquer e que são boas, benéficas, curativas. Também podemos estar diante de de um talento ou habilidade voltados para as artes.

Uma outra pergunta interessante a se fazer é: como posso expressar o Rei de Copas no dia de hoje? Desenhando, pintando, cantando, tocando um instrumento? Expressando sentimentos mais harmoniosos e carinho às pessoas que amo? E se o Rei de Copas for alguma pessoa que vou encontrar pelo caminho? Ele me trará palavras amorosas, será protetor, despertará algo de espiritual e sutil em mim?

Pois bem... Que o Rei de Copas venha! E que ele se manifeste das mais variadas - e lindas - formas! Que assim seja! Que o domingo seja de puro e maduro amor!

A imagem veio daqui

8 de Paus

sábado, 17 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Tenho tido a sensação de sentar na janela e apreciar a viagem, nos últimos dias! Uma sucessão de Arcanos tão lindos, que não dá pra imaginar situações ruins e energias desagradáveis. Mas, não se enganem, o ciclo ainda é de Diabo. Isso não quer dizer que o ciclo é ruim, negativo, perverso... Apenas pede aquela atenção especial em relação às armadilhas.

Vou exemplificar... Pelo menos por aqui, apesar de eu estar, emocionalmente, muito bem, mais calma, tranquila, bem humorada, administrando o volume de trabalho dentro de um limite que não me prejudique a saúde, existe algo pendente. Estou usando a palavra "pendente" porque não tenho ideia do que seja, mas a impressão é que é alguma coisa que não foi totalmente compreendida ou administrada. E é isso que tem feito com que as noites de sono não tenham seus efeitos renovadores e reenergizadores. Tenho conseguido me reabastecer de energia através de outras coisas (como a academia, o riso, as caminhadas), mas o sono mesmo... Sei não... tem alguma coisa de errado com ele...rs

Pois bem... Esta sensação de "estou farejando alguma coisa no ar" é a cara do Diabo e nos dois sentidos: pode ser que realmente haja algo no ar e pode ser que esta sensação seja o efeito sombra, tentando criar uma armadilha em relação a algo que está na mais perfeita ordem. Enquanto a situação não se define, sigamos!

Hoje, o 8 de Paus vem trazer os seus sinais para o nosso sábado saturnino. Porque nós precisamos de sinais! Porque meus caminhos se abrem de acordo com os sinais que chegam. Em certos momentos, me pergunto se sou eu que tomo decisões, se sou eu a dona da minha vida. Levando-se em conta que durante tantos anos eu bati no peito, orgulhosa, porque era dona de mim, das minhas decisões, dos meus caminhos. Hoje em dia, não sei... E isso não me entristece, não pensem isso... Se está dando certo, se está fluindo, se eu estou em harmonia com meu Eu Superior, só posso agradecer, como se o ego não precisasse se impor. Não digo para vocês que não me identifico mais com o ego ou algo assim... Não, ainda estou bem "serumaninho" na escada evolutiva...rs Mas não preciso mais ter a sensação de que decido tudo sozinha, da minha cabeça. Aceito feliz os sinais que são enviados e que expressam, exatamente, esta conexão com algo muito maior do que a minha própria vontade, mas a Vontade que vem a essência do meu ser (conectada com o Divino).

Minha dica especial do dia: abram seus olhos, seus ouvidos... Abram seus sentidos... Os sinais estão em toda a parte e alguns são para você, especialmente para você.

Ótimo sábado para todos nós!

A imagem veio daqui

9 de Ouros

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Sorrisos prontos? Mais um Arcano maravilhoso! A sexta-feira já é de Vênus e qualquer coisa que não atrapalhe, já ajuda...rs Imagina com um 9 de Ouros dando aquele apoio moral?

Ah.. Já ia me esquecendo daquele comentário básico sobre o dia anterior... Ontem, o Ás de Paus bateu em cheio por aqui! No trabalho da escola o foco foi mantido, sem maiores gastos de energia, aliás, muito pelo contrário, com muito riso e muita produtividade. Depois, fui atrás de resolver umas coisas, entreguei uma consulta que ainda estava pendente e fechei a tarde na academia. O resultado foi um retorno para casa cheia de energia e leve, tranquila.

Mas vamos falar desta belezura numa sexta-feira (mesmo que por aqui esteja aquele tempinho sem vergonha, quatro estações do ano num dia só). Sim, porque sou exigente! Sexta-feira deveria sempre ter céu azul, sol brilhante e ventinho fresco (praia, piña colada e muita preguiça! rs)

O 9 de Ouros é a carta da prosperidade e prosperidade, apesar de associarmos sempre ao dinheiro, não é somente entrada de recursos financeiros. É muito mais que isso! Trata-se de toda fartura, toda fortuna em termos de realizações, é a abundância, a frutificação de tudo em que trabalhamos, nos empenhamos. O 9 de Ouros é o resultado de um trabalho fértil e a manifestação concreta de toda energia investida nele.

Gosto sempre de olhar primeiro para o Arcano do Dia como energia, em si mesmo. Ou seja, não seria estranho pensar no recebimento de algo material que seja resultante de um trabalho, um projeto, alguma coisa que contou com a nossa dedicação. Mas como nosso foco hoje está mais direcionado para o amor e para os relacionamentos, vamos dizer que talvez o dia seja propício para a frutificação de um sentimento, um relacionamento, para resultados postivos obtidos através de um esforço sincero e amoroso de construir/manter/transformar uma relação.

Tudo que se faz com amor, frutifica. Não há como impregnar de amor qualquer coisa que seja e ela não multiplicar alegrias. Amor é tudo, né gente? Amor é vida!

Que a sexta seja afortunada!

A imagem veio daqui

Ás de Paus

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Temos outra carta hoje que dá uma virada na energia do ciclo. Em primeiro lugar, porque todos os Ases sempre falam de começos ou recomeços, em segundo lugar porque esta é uma carta de força e energia. Não sei vocês, mas apesar do clima ter melhorado muito com o 2 de Copas, ainda senti muito cansaço físico e desgaste de energia ontem. O Ás de Paus traz a promessa de uma energia de renovação e mais força e determinação.

Uma coisa fundamental que devemos entender é que nossa energia nos pertence e somos responsáveis por ela. Parece óbvio, mas na prática nem sempre é. Quantas vezes nossa energia é drenada por dias tensos no trabalho, discussões com pessoas, contrariedade na forma dos outros agirem ou, ainda, quando planejamos algo com tanto amor e cuidado e os fatos parecem destruir esse planejamento?

As adversidades existem. Não temos controle sobre elas. Mas devemos ter o controle sobre nossas reações em relação a tudo que nos acontece. Se fizemos o possível, o melhor no trabalho, não devemos ficar em desequilíbrio se algo dá errado. Se uma relação parece estar abalada, mas nós tivemos todas as melhores atitudes em relação ao outro, não devemos nos deixar atingir pela negatividade. Se as pessoas nos contrariam, pois bem, elas são diferentes de nós e isso não é pecado. Se nossos planejamentos vão por água abaixo, ou nós não planejamos direito (então devemos refazer o plano) ou os outros não cumpriram com a sua parte ou ainda não conseguiram resolver suas pendências, e isso não nos pertence. Desde que sou criança, ouço meu pai dizendo "eu fico muito chateado quando eu faço algo errado ou não me sinto capaz de lidar com meus próprios problemas. Mas quando eu fiz a minha parte, não importa o que aconteça ou o que os outros façam... Isso não me atinge" Um dia espero chegar neste nível de segurança, auto confiança e maturidade. Por enquanto ainda estou aprendendo.

O Ás de Paus pode nos dizer muitas coisas hoje: 1) faça a sua parte e deixe os outros fazerem o que lhes cabe 2) Permita-se ter boas ideias 3) Seja criativo 4) Use a sua energia de forma inteligente 5) Tome atitudes, você só deve se arrepender do que você não fez 5) Siga em frente!

Como o regente da quinta-feira é Júpiter, o Grande Benéfico, contamos com a sorte ao nosso lado e temos como grande poder as nossas ideias e a nossa capacidade de agir. Assumindo responsabilidade pelas nossas coisas, sem esperar nada dos outros, estamos em um bom caminho e se a sorte ainda nos brindar com uma ajuda extra, então estamos no lucro.

Que a quinta seja um dia de colocar a vida em ação!

A imagem veio daqui

2 de Copas

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Devo confessar para vocês que depois de duas cartas de Espadas (apesar de boas) em ciclo de Diabo, é uma bênção olhar para um 2 de Copas! Dá um alívio no coração...rs Algo como sair do embate, sair da batalha, e entrar em um campo florido onde há paz.

O 2 de Copas é um lugar confortável e quentinho no coração, não tenho dúvidas sobre isso! Acho tão limitada a visão de romance (ponto final) para o 2 de Copas... Ele é muito mais que isso! Ele é harmonia, parceria, é um clima de estabilidade alegre, suave, gostosinho.

Como hoje é quarta-feira, regida por Mercúrio, colocamos nosso foco na comunicação e com a presença do 2 de Copas por aqui temos uma comunicação mais sensível e amorosa. As palavras são escolhidas com cuidado, há um quê de diplomacia, mas não se trata de negociações cerimoniosas... Aqui temos uma forma de expressar amor através da delicadeza das palavras.

Podemos incluir na agenda do dia conversas de amor ou sobre o amor. Podemos escrever poesias, contos, crônicas e cartas de amor. Podemos vibrar tanto amor que mesmo se o assunto em pauta for aeromodelismo ainda assim conseguiremos espalhar nosso sentimento pelo ar, voando alto e tendo uma visão panorâmica da vida.

O amor é assim... Quando se tem ele dentro de si é difícil disfarçar.E não estou falando nem de amor por outra pessoa... Estou falando de ter amor, de ser amor, isso é algo indisfarçável! Graças aos deuses! rs Porque eu nunca vou querer esconder uma coisa dessa! ;-)

Que a quarta seja harmoniosamente amorosa!

A imagem veio daqui

6 de Espadas

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Continuamos em Espadas... Mas hoje quem nos visita é o 6, o cara da transição. Quando esta carta se apresenta, temos sempre situações em que a velocidade parece diminuir e a sensação é de deslizar sobre as águas, como a imagem ao lado.

Espadas é o naipe do element Ar e, no entanto, na maioria das imagens do 6 de Espadas que vemos por aí, temos uma quantidade absurda de água para todo canto. Por que? Pergunta que não quer calar... A melhor resposta que encontrei foi: porque o grande desafio aqui é ultrapassar este mar de emoções, que trazem insegurança, falta de fé de chegar seguro até  outra margem, mantendo a mente serena.

Lidar com as emoções em equilíbrio com a razão talvez seja um dos maiores desafios do ser humano. Um teste e tanto! Mas certamente é através de uma busca contínua de paz e harmonia interiores que nós chegaremos lá.

O 6 de Espadas chega neste ciclo de Diabo para apaziguar os ânimos, para trazer esta importante mensagem: tudo pode ser conversado, tudo pode ser pensado, desde que saibamos os caminhos certos a seguir. Não me parece coincidência que em ciclo de Diabo eu me lembre da famosa frase do tio Crowley: "Amor sob Vontade". O 6 de Espadas é Amor sob Vontade. Água embaixo, Ar em cima. E isso não desmerece nem um pouco o Amor e nem iguala a Vontade ao pensamento puro e simples ou à razão. Vontade é o nível máximo do Ar. E somente com o coração cheio de Amor e a mente com a Vontade suprema que vem da nossa mais pura essência que conseguimos realizar o que viemos fazer aqui neste planetinha azul.

Que a terça-feira seja de plena realização, porque, apesar de ainda estarmos na transição, confiamos na chegada segura e feliz do outro lado do rio.

A imagem veio daqui

Princesa de Espadas

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Ainda estamos em ciclo de Diabo, é bom não esquecer... Tanto pelo aspecto mais sombrio e suas armadilhas, quanto pelo potencial em termos de energia. É bom lembrar que onde há mais trevas também há muita luz, portanto, é bom observar atentamente tudo que poderá surgir pelo caminho.

Aliás, aviso aos navegantes: de hoje até domingo não teremos Arcanos Maiores, ou seja, seguiremos em ciclo de Diabo. Creio que seja uma semana de grandes aprendizados. Por aqui, o 3 de Ouros de ontem resgatou parcerias e trouxe atitudes mais práticas a caminho da estruturação.

Hoje, segunda-feira de regência lunar, temos a presença da Princesa de Espadas e com ela a possibilidade de uma comunicação mais clara, conversas esclarecedoras e pensamentos lógicos. Mas tudo isso envolto de magia e espiritualidade, portanto, podemos considerar aqui também as conversas com o "lado de lá", esclarecimentos intuitivos e inspirados.

A Princesa de Espadas costuma ser interpretada como a mensagem em si, uma informação importante que chega e é capaz de dar nova perspectiva a toda uma situação. Notícias, novidades e mesmo uma mensagem no sentido mais tradicional: email, carta, telefonema... tudo isso é a expressão desta mocinha em termos práticos. A grande dica é ficarmos atentos a isso para aproveitarmos a informação da melhor maneira possível.

Que saibamos usar a palavra com sabedoria, prestando atenção nas inspirações espirituais e intuições que vierem. É bom lembrar que a palavra tem poder e o quanto ela pode influenciar magicamente o entorno.

A imagem veio daqui

3 de Ouros

domingo, 11 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Depois de um sábado de Diabo daqueles bem caprichado, com todo o seu aspecto mais sombrio, hoje temos por aqui um 3 de Ouros colocando os pés no chão e analisando tudo de forma mais prática, com a ajuda do elemento terra.

Aliás, o elemento terra combina bem com a aniversariante do dia: minha mãe! :-) Não é à toa que seu nome é Flora, foi com ela que aprendi o amor pelas plantas, pela natureza, foi com ela que aprendi o encantamento com um céu azul, o vento forte... Foi com ela que aprendi que mesmo não gostando muito de chuva, devo ser grata porque ela "deixa as plantinhas alegres". E com todo o seu gênio brabo de sagitariana com ascendente em escorpião, tive a sorte de, na infância, ter uma mãe-amiga que sentava no chão comigo para brincar e que providenciava surpresas e aventuras que foram inesquecíveis. Parabéns, mãe! Que você continue sendo esta menina entusiasmada com as coisas belas que a vida nos oferece!

Pois bem... Cá estamos em um domingo de regência solar com a participação do 3 de Ouros! Hoje é dia de dar continuidade a coisas que já começamos a construir e de contar com a participação de outras pessoas que estão conectadas a esta construção.

O 3 de Ouros fala de realizações materiais que ainda não atingiram o seu ápice ou sua conclusão, mas que já dão os primeiros sinais de que têm tudo para dar certo: os primeiros passos práticos de uma ideia, um projeto junto com outras pessoas que começa a ser traçado, a organização de um trabalho que será executado. Em dia de 3 de Ouros é bom sair da idealização ou do sonho para tomar atitudes mais concretas.

É bom lembrar que um dos conceitos mais fortes desta carta diz respeito a parcerias. Portanto, é bom saber que algo tem mais chance de dar certo se duas ou mais pessoas estiverem envolvidas e todas tiverem um objetivo claro em mente: a importância de ter uma meta em comum junto com a postura de compreensão de que é preciso, antes de tudo, ouvir e entender o que o outro pensa, sente e quer. Sem um diálogo prático e harmônico não se sai do mesmo lugar e não se constrói nada.

Que o domingo seja construtivo! ;-)

A imagem veio daqui

O Diabo

sábado, 10 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

Pois bem... A vida é engraçada. Às vezes, passamos por desafios impressionantes e nos saímos muito bem, porque estamos muito atentos, porque imaginamos de onde vêm os perigos, o stress e os aborrecimentos. Estamos de olho neles... Então, conseguimos nos defender da melhor maneira. O mesmo não acontece quando os desafios são inesperados, quando eles nos pegam totalmente indefesos e desprotegidos. Por isso, muitas vezes o que nos derruba não é algo verdadeiramente sério e problemático, mas uma bobabem ridícula. O nome disso é armadilha, popularmente chamado de "é cilada, Bino!"

Uma das imagens que considero mais significativas para a carta do Diabo é a que inclui a marionete ou títere, sendo o próprio Diabo o titereiro, o cara que manda na p*%%@ toda..rs Em termos práticos, este é um significado bastante importante, eu diria um dos três mais importantes do Arcano 15.

Mas para falar da carta do Diabo e seu significado, vou precisar me ocupar um pouquinho de falar do diabo em si ou do que chamamos de "Mal"...

Eu, particularmente, não acredito em diabo... Pelo menos não como um ser que faz oposição a Deus, porque isso colocaria o diabo como uma Divindade em pé de igualdade com Deus, tão poderoso quanto. Eu prefiro acreditar em um Deus criador de todas as coisas, que é a própria emanação do Amor, como expressão criativa. E acredito que o diabo seja apenas mais uma engrenagem, como tantas outras, que existem dentro disso tudo que foi criado. O diabo faz parte da criação de Deus (e não é o seu opositor), o diabo é a energia de resistência, é o que cutuca, provoca, se rebela... Através desta energia, o ser humano é capaz de revolucionar, ousar, se apaixonar, é capaz de fazer coisas incríveis! Mas também é capaz de fazer coisas estúpidas! A razão é uma só: a energia do diabo é como uma mente ardilosa com senso de humor, às vezes, muito duvidoso, ela gosta de provocar e gerar movimento, mas não tem o menor compromisso com o resultado da provocação ou o lugar pra onde o movimento levará as pessoas. 

Todas essas caractertísticas do diabo seriam tolices ineficazes se o ser humano fosse um pouquinho mais esperto. Infelizmente, nós, essas criaturas com um potencial tão bom, mas tão imaturas e com um ego tão gigantesco, em um estalar de dedos caímos em todas as armadilhas do diabo, mesmo aquelas que já nos pegaram antes e nos fizeram sofrer todas as consequências desagradáveis de termos sido idiotas. É impressionante! Aliás, é fascinante! E, me perdoem, apesar de em algumas vezes eu ainda cair nessas armadilhas, tenho me sentido meio metida a besta por ter caído cada vez menos neste tipo de coisa. Lamentavelmente, ainda sou obrigada a conviver com pessoas que são marionetes incrivelmente maleáveis às ações manipuladoras do diabo.

E quem é o diabo (reparem que está ainda em letra minúscula... ainda não estou falando do Arcano, mas da figura que emprestou seu nome a ele)? O diabo é uma energia que está em todo lugar, inclusive dentro do ser humano. E eu diria, por minha experiência de vida, princípalmente dentro da cabeça e dos órgãos sexuais... aliás, muitas vezes, nesses dois lugares ao mesmo tempo, o que costuma resultar em coisas bizarras. Este diabo fica sussurrando provocações em nossa mente, especialmente quando tudo está indo "bem demais"... ele cria histórias, ele procura explicações que se encaixem em nossas crenças. É capaz de fazer o movimento inverso do bom senso: a pessoa já tem uma certeza e aí sai buscando provas para embasar sua certeza... ao invés de, diante de tantas provas, ter embasamento para chegar a uma conclusão. A energia do diabo cria tanta confusão que é capaz de gerar conflito e transtorno a partir de coisas muito pequenas, mas que no decorrer do processo crescem como massa de bolo cheia de fermento. A energia do diabo costuma ter uma vítima constante, na verdade é seu brinquedinho, sua marionete, o seu títere preferido: o ego! Nada como pegar um ego inflado e fazer dele uma massinha de modelar, fazer dele gato e sapato, fazer dele o que quiser! Jogar na parede, chamar de lagartixa... E o mais louco é que, depois de tudo, o ego ainda sai com o peito estufado se achando cheio de razão e melhor que os outros... não percebe que foi absurdamente manipulado, não percebe nada! O ego só enxerga o seu próprio umbigo.

Então, o nosso Diabo (Arcano) tem como um de seus significados toda essa energia que eu falei que é o diabo, aquele que faz parte da criação, creio eu que para treinamento, para que o ser humano possa evoluir e se tornar alguém melhor e mais centrado, que não permita que sua mente seja que nem uma folha ao vento, levada pra todo lado... um treinamento para que o ego não seja um tanque de guerra, impondo sua posição e passando por cima de todos que não o reverenciam e idolatram.

O que acho mais incrível (no sentido negativo) do Diabo é que as pessoas que estão sob sua ilusão não percebem e ainda brigam com você se você tenta abrir seus olhos. As armadilhas são tão perfeitas que a criatura humana vai até o fim acreditando que todas as suas sandices são a realidade. Ela acha que todo mundo quer enganá-la sem perceber que ela já foi enganada! Ela foi enganada por este "diabo" que está dentro dela e que adora degustar seu ego inflado, suas vaidades (o pecado favorito do Al Pacino), suas fragilidades, seus pontos fracos. Gente, o Diabo dá um baile no ser humano, sapateia flamenco na sua cabeça e muitas vezes vai embora assobiando, sem que a criatura consiga enxergar o quanto foi iludida e manipulada. O Diabo pode ser ruim, mas é muito bom no que faz! rs

Eu, com as minhas nerdices, gosto de pensar no diabo como  o agente Smith de Matrix, o cara assume o corpo das pessoas e faz com elas o que bem quer e diferente do agente Smith, faz isso apenas por diversão. É como alguém que cria personagens, joga motivações e depois aprecia prazerosamente os efeitos que aquilo é capaz de gerar. Ciente disso, eu tenho procurado a reflexão e a análise profunda quando ele tenta me atingir, e procuro o silêncio e o isolamento quando ele age nas pessoas em volta de mim. Cada um tem lá o seu diabo de estimação, que costuma cutucar sempre os mesmos pontos, mexer nas mesmas feridas, provocar sempre as mesmas emoções em desequilíbrio. É bom que a gente saiba por onde esta energia de humor duvidoso costuma atacar para que estejamos alertas. Para isso, o auto conhecimento e a capacidade de olhar para si mesmo de forma lúcida são os melhores caminhos.

Que o sábado seja de sabedoria e de clareza mental para que saibamos onde estamos pisando, evitando caminhos equivocados que podem nos levar a um lugar doloroso e desnecessário.

A imagem veio daqui




4 de Ouros

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Bom dia! :-)

A sexta-feira chegou e com ela o 4 de Ouros, aquela carta toda certinha, estruturadinha, estavelzinha...rs Na verdade, tudo que eu mais preciso neste momento! Aliás, é até irônico ter um 4 de Ouros depois de uma Roda da Fortuna, que chega espanando tudo pra tudo que é canto! rs

O primeiro sinal de apego (um dos conceitos associados ao 4 de Ouros) com que me deparei foi o apego a minha cama. Senti muito disso hoje ao acordar..rs Este apego começou a se manifestar ontem a noite, quando depois de gravar consultas pendentes, não consegui fazer e programar a postagem de hoje, pois "desmaiei" deixando computador ligado e Big Bang Theory falando sozinho.

Esta é a imagem que mais gosto do 4 de Ouros e ela fala de coisas que são meu sonho de consumo neste momento: ficar em casa, arrumar armários, fazer compotas, poções. Ah, sim... Contar com a ajuda de gnomos para arrumar a casa também seria legal! :-)

Se juntarmos todos os conceitos do 4 de Ouros à regência venusiana da sexta-feira podemos pensar em relacionamentos construídos pacientemente, podemos pensar em coisas belas que conquistamos ou cultivamos, podemos pensar em modelos mais tradicionais de relações amorosas... Como a presença do 4 de Ouros às vezes antecede um ganho material e concreto, com a influência de Vênus podemos pensar em um presentinho, um mimo, algo que é manufaturado com as mãos e paciência.

O 4 de Ouros hoje é uma boa âncora para tudo que foi chacoalhado ontem com a Roda da Fortuna. O momento é de deixar as coisas assentarem, até para que possam ser olhadas de frente, analisadas... Taí algo que aprendi: a importância de deixar as coisas se aquietarem para poder olhar pra elas de forma imparcial e tranquila. Isso propicia grande lucidez para a análise.

Pois bem, um último detalhe: quando olho para o 4 de Ouros também penso em conforto. Portanto, que possamos desfrutar disso, descansar, receber bônus por trabalhos realizados, empenho e dedicação. Que assim seja! (isso é quase uma oração! rs)

Ótima sexta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui

Reflexões sobre um dia de Roda da Fortuna na vida de uma pessoa ansiosa

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Resolvi escrever um pouco sobre a influência da Roda da Fortuna em termos práticos. E faço isso menos como taróloga e mais como uma pessoa ansiosa que tem conhecimento sobre o tarot. Espero que, ao compartilhar minhas experiências deste dia, possa também colaborar com todas as pessoas que passam por aqui e se inspiram nos Arcanos para lidar melhor com suas experiências pessoais.

Sempre que a Roda da Fortuna aparece pensamos em viradas e mudanças de ciclos, mas muitas vezes nos esquecemos que a energia deste Arcano é intensa, rápida e instável, ela oscila, ela traz experiências do tipo "agora é... agora não é... agora parou tudo, agora acelerou". E tudo isso costuma gerar ansiedade também, mesmo que as mudanças sejam positivas.

Ontem, encerrei meu dia muito cansada, gravando consultas até tarde. Hoje, acordei relativamente cedo e tive que encarar arrumação de casa, respostas de emails solicitando consultas, o quintal seco e as plantinhas implorando por água. Junto com isso, eu, pessoa ansiosa que sou, comecei a prever a carga de trabalho na escola, as encrencas que a Secretaria de Educação costuma jogar pra cima da gente nesta época do ano e o fato de que alguns clientes de tarot já confirmaram o agendamento e outro ainda não, com o risco de ficarem sem suas consultas marcadas para este ano. Sei que eu não tenho nada a ver com isso, mas, como disse, sou ansiosa e já fico prevendo que algumas pessoas, apesar de não confirmarem a consulta, mais adiante me escrevem, agitadíssimas, com o famoso "mas eu estou precisando agoraaa!" rsrs

Tudo isso junto, fez com que eu saísse de casa sem almoço e com um nervoso acima do normal, acima do recomendado para a saúde física e mental. Chegando na escola, uma sucessão de problemas; reclamações em decorrência de decisões da Secretaria de Educação (eles decidem, nós ouvimos... é sempre assim); o telefone que não parava de tocar, principalmente por conta de mães que não leem os bilhetes que as professoras mandam e depois querem saber por telefone informações que o setor administrativo da escola não tem como responder; professoras pedindo favores urgentes, quando sabem bem que a Direção já estipulou horários e prazos para fazer isso; mães querendo desabafar problemas, funcionários que não estão tão ocupados quanto nós, da secretaria, querendo jogar conversa fora e, para coroar o dia, uma mãe que tem o hábito de "esquecer" que o horário de saída é às 17h 20min e adivinhem quem é chamada para telefonar para a mãe e pedir para que ela faça o que já é sua obrigação? Sim, claro, a criatura que trabalha na secretaria.

Meu colega de trabalho, que faz o turno da manhã, afirmou com todas as letras que este foi o pior dia de trabalho de 2016. Eu não tenho esta certeza, mas certamente foi um dos cinco piores. A agitação comum de todo final de ano, um calor abafado, a falta de sensibilidade e consideração de alguns colegas de trabalho que preferem ignorar nosso volume de serviço e nível de stress, uma Secretaria de Educação que primou, do primeiro e - ao que parece - até o último dia de mandato, pela desorganização, confusão, por mudar as regras do jogo no meio do caminho (alerta Roda da Fortuna!) e empurrar para as escolas a resolução dos conflitos... Uma quantidade de coisas que certamente estragam o dia de qualquer pessoa, mas certamente estragam ainda mais o dia de pessoas que são, como eu e meu colega, ansiosas, responsáveis, defensoras do que é justo e que tentam ser prestativas a maior parte do tempo, mesmo que não recebam o mesmo tratamento das pessoas em volta. No entanto, dentro do princípio que procuro seguir - 100% de responsabilidade - eu me permiti cair em armadilhas.

O resultado de ter entrado nesta Roda, em seu pior aspecto, foi um dia marcado pelas mãos tremendo logo ao entrar no carro para ir para o trabalho e uma dor de cabeça insuportável ao sair dele. Mas nem tudo está perdido! No caminho para o carro peguei chuva e deixei a água literalmente esfriar minha cabeça. No trajeto para casa, com paradas na quitanda e na padaria, procurei me concentrar no que estava fazendo e relaxar o corpo, a mente e as emoções. Quando cheguei em casa, fui para o quarto, olhei pela janela e vi plantinhas felizes molhadas de chuva. Respirei fundo e percebi que estava bem mais calma.

Os Arcanos são energia. Os Arcanos não são fatos específicos. De acordo com a forma que estamos, de acordo com a forma com que nos trabalhamos internamente, vamos perceber e vivenciar diferentes aspectos de cada Arcano. Hoje, eu me permiti cair na ansiedade, indignação, irritação... Então, vivenciei a Roda dos altos e baixos... Quando conseguia engrenar em uma tarefa, era interrompida, atrapalhada, provocada... e depois voltava ao serviço e depois era interrompida de novo. Se eu tivesse conseguido equilibrar minha mente e minhas emoções logo cedo, talvez tivesse aberto a possibilidade de receber de presente uma virada da Roda que fosse uma verdadeira Fortuna. Mas não consegui. Não podemos culpar os Arcanos pelos nossos erros e nem justificar nossos erros através da presença dos Arcanos em um jogo. Assumir 100% de responsabilidade é isso.

Agora, mais calma e harmonizada, sorrio para meu quintal e penso "vamos ver se nestas últimas horas do dia, vibrando uma energia mais positiva e grata, eu consigo receber minha Fortuna, porque o mundo dá voltas e a Roda gira." :-)


Roda da Fortuna

Bom dia! :-)

Quando me deparei com esta imagem, congelei! No sábado eu fiz um workshop e aprendi a confeccionar meu próprio filtro dos sonhos, refletindo sobre todo o seu significado enquanto trançava a  teia com minhas mãos. É algo muito mágico! E esta imagem expressa toda esta magia.

Apesar de hoje não ser segunda-feira de regência lunar e nem termos por aqui cartas tipicamente mágicas, como Sacerdotisa, Mago, Temperança ou Lua, algo me diz que o dia será, sem dúvida, envolvo em magia da melhor espécie!

Mas antes de falar da Roda da Fortuna, quero fazer um comentário sobre o 3 de Copas de ontem: como é bom estar agradecida e harmonizada! Ontem, enfrentei dois grandes desafios que, em uma situação normal, me deixariam bufando de indignação! rs No entanto, depois dos primeiros três minutos de "como assim???" eu respirei fundo e entreguei, amorosamente, as soluções e os bons resultados nas mãos dos meus protetores. Ainda não tive resposta das duas questões, mas confio que tudo vai dar certo.

Mas vamos para a Roda e vamos girar e enxergar o mundo sob nova perspectiva.

A Roda da Fortuna é um Arcano que fala de mudanças... especialmente as mudanças de fase e as mudanças que acontecem em função de fatores externos. Portanto, hoje é um dia de coisas surpreendentes! Junto com isso, hoje é quinta-feira de Júpiter, nosso amigo Grande Benéfico, que sempre colabora com um toque de sorte e nos faz lembrar do nosso poder pessoal. Creio que vamos ter uma virada de sorte, creio que vamos encerrar uma fase que se arrastava até então para que novos horizontes se abram. Eu confio, entrego e agradeço.

Vale lembrar também que hoje é dia 8 de dezembro, dia de minha amada mãe Oxum, orixá do amor, dos relacionamentos, da beleza e da riqueza. Que o seu ouro possa criar novos caminhos de fartura e prosperidade em todos os sentidos... Que seu amor seja a poesia para embelezar nossos dias... Que sua dança faça com que nossa vida tenha cores, sabores, aromas e música de festa. Que Oxum nos abençoe!

Ótima quinta-feira para todos nós!

A imagem veio daqui e esta Oxunzinha linda veio daqui