Rei de Ouros

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Bom dia! :-)

Ontem o dia foi mesmo de Sol! Esclarecimentos vários, resoluções várias, situações se iluminando, assim, do nada! Foi um dia muito ativo, em que consegui fazer tanta coisa e ter tanta energia que, depois de uma sequência de dias estanhos, foi uma verdadeira bênção! Isso comigo... Mas, ao mesmo tempo, acompanhei de perto uma situação angustiante com outra pessoa. Isso me levou a levantar uma hipótese (se alguém teve um dia difícil ontem, por favor, analise com carinho o que vou escrever agora): a vida está tentando te mostrar que seu comportamento, sua postura, sua forma de pensar e sentir estão equivocados. E, por uma questão de afinidade e atração de energias semelhantes, tudo isso acaba trazendo um monte de "pepinos" pra sua vida. Porque em um dia de Sol quando algo dá errado está certo. Deu pra entender? rs De novo... Em um dia de Sol quando algo acontece errado tem uma razão muito clara e importante para ser analisada, provavelmente, a vida colocando um holofote em cima de uma situação que a pessoa já deveria ter resolvido, que se repete com frequência e que depende somente dela resolver... mudar de atitude, tomar decisões, agir... E enquanto ela não fizer isso, provavelmente, a vida vai continuar colocando situações angustiantes idênticas de tempos em tempos, e a pessoa sempre tem duas opções: 1) culpar os outros, o mundo, o destino, o karma ou 2) compreender que enquanto ela não assumir as rédeas da própria vida, buscando a autonomia e a independência, e se tansformar, se desapegar do ego e aprender o que tem que aprender, nada vai mudar.

Isto é assim pra todo mundo! Pra mim, pra você, pro seu vizinho... Só que algumas pessoas aprendem mais rápido e outras demoram mais tempo para aprender. Posso falar isso com tranquilidade porque eu fui uma dessas que demorou muuuuito para aprender. Sempre que algo de errado acontecia, eu começava a buscar mil justificativas fora de mim para que aquilo acontecesse, apontava o dedo pros outros, me sentia profundamente injustiçada... era um drama só! E enquanto fiz isso a vida me devolveu mais pepinos, mais oportunidade de drama, mais injustiças, mais pessoas agindo comigo de uma forma totalmente ilógica. Até que em 2007 eu conheci o tal do Ho'oponopono e minha vida começou a fazer mais sentido.

Quando olhamos no espelho e conseguimos compreender que TUDO que acontece conosco é nossa responsabilidade, sem mimimi, sem tristeza, sem sentimento de ser injustiçado, a coisa começa a entrar na linha. Ser responsável não quer dizer ser culpado. Diferenciar isso é simples: o culpado é quem fez a coisa errada acontecer, já o responsável é que vai resolver a coisa errada. Nem sempre o culpado é o responsável, entendem?

O fato é: onde estamos agora é total responsabilidade nossa! O lado bom e o lado ruim. O pacote completo. Isso às vezes é algo simples, que exige um pequeno toque aqui ou ali. Mas às vezes isso representa assumir responsabilidade sobre a vida e ela está em estado caótico, porque até então você não tinha consciência disso. Como resolver? Com cuidado, atenção, disciplina e fé.

Não somos pedintes nesta vida ou pelo menos não deveríamos ser. Não podemos esperar boa vontade dos outros, de Deus, da vida... Nós devemos tomar atitudes firmes e confiar que nosso efetivo esforço terá resultado. Não podemos nos desequilibrar emocionalmente toda vez que algo dá errado, não podemos fazer pirraça quando alguém nos contraria e nem nos largar na cama em depressão quando nossos planos e sonhos parecem pisoteados por vilões com superpoderes. Estou falando isso porque era exatamente o que eu fazia até uns 30 e poucos anos de idade (meio tardia a adolescência, né?) Só que aí a vida me deu uma chacoalhada e falou: querida, agora é assim, além de se bancar você tem um filho pra sustentar, criar, cuidar, se vira! E foi o começo de uma longa e dura estrada, com momentos em que pensei que não ia resistir! Durante muito tempo eu pensava que não daria conta deste aspecto mais "mundano" da vida, porque sempre fui ótima no lado espiritual, sutil, psicológico, terapêutico. Só que eu achava fácil orientar alguém com síndrome do pânico, mas achava o fim do mundo resolver problemas no banco, renovar a carteira de habilitação, fazer imposto de renda... Mas é assim que rola! Vim nesta vida com um conhecimento espiritual profundo, com empatia, com habilidade para a cura, mas uma idiota completa para coisas simples do dia-a-dia e tive que aprender tudo isso na marra! rs

Então, quando olho pra este Rei de Ouros em plena quinta-feira de Júpiter, penso assim: a vida não é boa nem ruim, a vida é um espelho, que vai mostrando situações que são reflexo de várias questões existentes dentro de nós. A forma como vamos lidar com isso vai definir os resultados. Olhar para si, para o próprio comportamento (interno e externo) é desafiador... Não é fácil olhar aquela pior parte de nós! Não mesmo! Eu venho fazendo isso há décadas e sei como é doloroso... Perceber um aspecto que é um verdadeiro torturador de si mesmo, todos os "nãos" para as alegrias e prazeres por achar que não merece, o aspecto vítima que repete "isto não é justo! Isto não é justo!", o aspecto terrorista que tem vontade de jogar granadas em vários lugares e várias pessoas. Nós temos tudo isso dentro de nós! E precisamos lidar com toda esta tranqueira. E agradecer todos os dias porque temos esta tranqueira para lidar e assim podemos crescer e amadurecer como seres humanos.

O Rei de Ouros está aqui hoje para dizer: tá muito difícil? Sinal de que você é mais forte que a média... E sinal de que já passou da hora de levantar a bundinha da poltrona e ir resolver seus pepinos com um sorriso nos lábios, o sorriso dos heróis, aqueles que olham o problema e dizem "ele veio pra mim porque sou tão incrível que resolvo isso com facilidade". E quando falo "resolver problema" não estou falando de tentar, estou falando de conseguir. Tentar nem existe! É fruto da imaginação...rs Ou você consegue ou você não fez nada, porque, na prática, tudo continua no mesmo lugar se você só tentou e não conseguiu. Portanto, olhe para este momento como uma grande aventura onde você é o cara que vai dar jeito na sua própria vida. Esta é a sua primeira missão. Quando for competente o suficiente para fazer isso, aí pode se dar ao luxo de dar jeito na vida dos outros. Inverter esta ordem costuma ser o caminho dos orgulhosos ou dos carentes. Não siga este caminho. Ele parece muito bonito, vindo de alguém muito generoso, mas costuma esconder fugas interiores fantásticas!

O Rei de Ouros afirma: segura na mão de Deus e vai! :-) Então vamos!

Ótima quinta para todos nós!

A imagem veio daqui

3 comentários:

Aparecida Soares Silva disse...

Esse texto foi para mim! Tapa na cara, beliscão, empurrão, chamem do que quiser mas já separei ele para ler, reler quantas vezes forem necessárias. Uma tendência natural do ser humano é ser vítima do destino, das situações, dos acasos. Como não girar a peça de teatro em torno do protagonista? Assim é a vida a cada momento que nos impõe escolhas e escolhemos errado. Ontem, deu tudo errado, desde o início ao fim e estava dando graças por ser só 24 horas. Fiquei pensando, refletindo e hoje encontrei as minhas respostas.
Se deu tudo errado no dia do Sol, é porque era o certo.
Sim, você veio com uma bagagem imensa espiritual, gratidão por compartilhar!!
Bjs

del carvalho disse...

Bem haja Claudia pelo blogue, pelas dicas, e verdade eu sou maravilha, pois se tudo é reflexo nosso, eu gosto muito do reflexo Claudia, milhão de beijos

ROSANGELA disse...

PERFEITO!